CRISTO ABANDONOU O TEMPLO

 

templo

 

Hoje existe um culto a Israel, a Jerusalém e suas bandeiras dentro dos templos denominados cristãos, porem as Escrituras revelam verdades que contradizem estas ações,  mas precisamos da ajuda do Espirito Santo para abrir nossos olhos. Quando Cristo veio a este mundo, infelizmente não foi recebido.  A cidade de Belém fechou suas portas para Ele. Foi caçado pelo governo aos dois anos de idade e rejeitado pelo Seu próprio povo quando começou Seu ministério “Ele veio para os que eram Seus, e os Seus não O receberam (João 1:11)”.  Os líderes religiosos que dominavam Jerusalém também O rejeitaram.  Precisamos relembrar de como Ele chorou sobre a cidade porque rejeitaram seu Messias  (Lucas 13:34).   Quando tentou entrar em Samaria, foi rejeitado também ali. “Mas não O receberam porque Seu aspecto era de quem ia a Jerusalém” (Lucas 9:53).  Ele também foi rejeitado pela Sua própria cidade, Nazaré. Lembremo-nos de Suas próprias palavras: “Não há profeta sem honra senão na sua própria pátria” (Marcos 6:4). Numa palavra emocionante e reveladora por tanta rejeição até dentro de sua pátria o próprio Cristo disse que não tinha casa neste mundo. “As raposas têm covis, e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde reclinar a Sua cabeça” (Lucas 9:58).  Aquele por meio de quem e para quem foi feito todas as coisas, foi rejeitado por todos pelos quais entregaria Sua própria vida por amor deles.

Mas graças ao plano celestial, houve apenas uma exceção, houve apenas um lugar na terra onde Ele foi bem recebido, foi numa pequena aldeia chamada Betânia.

Betânia estava há pouco menos de três quilômetros a leste de Jerusalém. Nos seis últimos dias de vida terrena de Yahushua, Ele se retirou para Betânia e se alojou ali. Houve três pessoas que viveram em Betânia as quais a Escritura diz que Cristo amou carinhosamente: Marta, Maria e Lázaro. Houve também uma quarta pessoa que viveu em Betânia  a quem o Novo Testamento chama “Simão o leproso”.  Alguns eruditos acreditam que era parente de Marta, Maria e Lázaro. Possivelmente o pai ou tio deles. Betânia foi o único lugar na terra onde Yahushua foi reconhecido como filho do Altissimo, do Pai celestial que Ele anunciara, segundo o registro do Novo Testamento. Em Lucas 10:38-40 esta escrito: “E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Cristo numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Cristo, ouvia a sua palavra.”   Se a Escritura diz que os Seus não o receberam, podemos verificar aqui que Marta “O recebeu em sua casa”. Então podemos ver uma palavra chave importante aqui que abre nossos olhos espirituais, “RECEBER”.   Cristo não foi recebido por Jerusalem, por Belem, pela Sua própria família ou povo, pois estes pensavam: “Este é o herdeiro; vinde, matemo-lo, e apoderemo-nos da sua herança. E, lançando mão dele, o arrastaram para fora.” (Mateus 21: 38-39).   Lucas revela que em Betânia Ele é recebido com alegria e encontra descanso e um lugar para enfim reclinar Sua cabeça.

Precisamos abrir nossos olhos espirituais com a ajuda do Espirito Santo para este princípio: Uma igreja local no qual Ele está agora por Seu Espírito. Um lugar de apoio num mundo que O rejeita, lugar este para o qual regressará. Ele terá algo e um bom motivo para voltar, e neste lugar que o recebeu Ele poderá restabelecer Seus direitos universais. Por isso, Yahushua quer Sua Igreja em reuniões locais, nas casas por toda a face da terra. Elas são testemunhas de Seus direitos num mundo onde esses direitos são disputados e negados.

Nos dias de hoje o mesmo espirito maligno que corrompeu o coração do povo a transformar o templo de Jerusalém em um covil de salteadores, atua da mesma forma,  a palavra covil nos remete a lobos, e isto é o que temos hoje nos templos atuais, lobos em pele de cordeiros, lugar de ladrões que negociam o evangelho e roubam o povo e a Deus imputando dízimos e trazendo de volta as maldições do velho testamento.   Agora podemos entender por que Satanás sempre procura, se possível destruir a expressão local de Igreja, destruir os pequenos grupos do povo de Cristo que vive em união e comunhão celestial com Ele. Satanás sabe que isto representa que seu reino está derrotado e que é ameaçado.

Não podemos esquecer que Yahushua procurou estabelecer antes Seu ministério em Jerusalém, e purificou o templo, tentando limpar o caminho para estar em Sua casa. O templo estava poluído por comerciantes que haviam se estabelecidos ali, mercenários que transformaram a casa de Deus em um covil de salteadores (Mateus 21:13). Esta é uma revelação para que possamos olhar com olhos do Espirito Santo para o que acontece hoje, exatamente a mesma coisa.   Nesta última visita a Jerusalém, Yahushua foi confrontado pelos principais sacerdotes e escribas. Yahushua sai então da cidade e vai para Betânia, de manhã ao voltar para a cidade teve fome (Mateus 21:17-19). A fome de Cristo significava que Ele almejava o fruto dos filhos de Israel, para que o Pai anunciado por Ele ficasse satisfeito.  A figueira é um símbolo da nação de Israel (Jeremias 24:2,5,8). A árvore estava cheia de folhas, mas não tinha fruto, o que significa que, naquela ocasião a nação de Israel estava cheia de aparências, mas não tinha nada que pudesse satisfazer a Cristo. Então Ele amaldiçoou a nação de Israel. Em Mateus 23:38 Yahushua diz: “Eis que a vossa casa é deixada deserta”. E em (Mateus 24:1) Cristo sai do templo e anuncia sua derrubada, indicando que deixaria o templo, isto significa que a glória do Pai deixaria também o templo.

Vemos também em Marcos 1:29 e Lucas 4:38 Cristo retirar-se da sinagoga e entrar na casa de Simão, também conhecido por Pedro. Isto é muito significativo, pois o que podemos observar é Yahushua retirando-se do templo e também das sinagogas onde primeiramente tentou ser verdadeiramente recebido mas não o foi.  Cristo então passa a buscar as casas daqueles que o recebem. Deste momento em diante Ele retira Sua presença e abandona todo o sistema judaico e passa a estabelecer algo totalmente novo dentro do plano do Pai Eterno anunciado por Ele,  podemos notar que Ele passou grande parte do Seu ministério tentando estabelecer o seu Reino dentro do judaísmo mas, já nos Seus últimos dias na terra Ele abandona tudo o que tinha sido corrompido pelo sistema religioso criado a vontade dos homens. “ O Reino do Pai anunciado por Cristo será tirado e será dado a um povo que produza frutos”.  Esta foi a sentença pronunciada por Cristo para aqueles que demonstrando religiosidade, haviam tornado-se uma blasfêmia contra O Espírito Santo do Pai.

Desta forma podemos concluir que:  Cristo abandonou o templo e também as sinagogas, abandonou também as práticas religiosas que as chamadas “igrejas” de hoje teimam em ressuscitar, e passou a manifestar Sua glória nas casas como em Betânia.

Hoje Yahushua através de  sua Igreja, está novamente abandonando tudo aquilo que tornou-se corrompido dentro do Cristianismo e manifestando Sua presença em cada casa em que Ele é recebido e aceito como quem Ele realmente é.

Israel foi representado pela figueira, Yahushua não encontrou os frutos que esperava, Ele vai então para Betânia, e Betânia quer dizer “a casa de figos”.  Nem no templo nem em Jerusalém Cristo encontrou satisfação, porém em Betânia sim, por isso, Ele sempre ia para lá. Para Ele, a satisfação do coração não estava no sistema frio, sem vida e formal daqueles dias, mas na atmosfera viva, vibrante e calorosa do lar em Betânia. A igreja local precisa ser a “casa de figos” para Yahushua. Em Betânia foi que Yahushua foi Ungido com um unguento de grande valor (Mateus 26:7).  Também foi em Betânia onde tornou-se o cenário da manifestação do poder da ressurreição. A Igreja é o vaso no qual o poder de  Sua ressurreição é exibido. Quando tivermos a Igreja exatamente como Yahushua a quer, sempre se verá a verdadeira salvação e libertação da escravidão do diabo.

Finalmente Cristo seus discípulos para fora da religião e os abençoou (Lucas 24:50-52). Lá Ele foi elevado ao céu, e é para Betânia para quem Ele voltará pois… “Esse Cristo, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (Atos 1:11).

Não podemos nos enganar, o velho testamento, a lei com seus sacerdotes, templo e sinagogas eram apenas sombras, figuras. Templos construídos por mãos humanas, onde os homem exerciam a sua vontade mas não a vontade do Pai,  por isto Cristo abandonou o templo.   Hoje vemos homens tentando reproduzir ou inventar um substituto para este templo, perpetuando assim o Velho Concerto, criando rituais para salvação, óleos ungidos, idolatrando símbolos de Israel, trazendo de volta a arca de Moises para ser adorada e buscam andarem como judeus na aparência, edifícios religiosos, catedrais e templos são empregados como lugares sagrados onde ministram o velho testamento e suas maldições para arrancar dízimos e sacrificar as ovelhas. Chame-os de “igrejas” se quiser, mas NÃO SÃO IGREJAS. Seu verdadeiro nome é blasfêmia. São meros edifícios; e não há nada de sagrado ou santo neles. Não são a “casa do Pai” anunciado por Cristo, como os ignorantes da verdade amam chamá-los. Cristo revela um desejo hoje em Seu coração, Ele não quer Jerusalém, o que Ele quer de verdade é Betânia onde possa ser recebido e amado.

Que o Espirito Santo de Cristo fale ao seu coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *